segunda-feira, 13 de junho de 2022

“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce” - Fernando Pessoa

 Fernando Pessoa já o dizia no século XX e, de facto, nunca este verso foi tão verdadeiro como agora, nem tão plenamente aplicado como o é na disciplina de Literacia, Comunicação e Pensamento 2 (LCP2). Esta disciplina, que é transversal, abraçando aprendizagens essenciais de Português, Inglês e Filosofia, contempla as competências definidas no perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória, e cujos planos curriculares integram diversas atividades, projetos/trabalhos. Neste âmbito, a equipa responsável pela lecionação desta disciplina no 11º ano de escolaridade, propôs, aos alunos, a realização de um “Sarau Cultural”, como corolário de todas as atividades efetuadas na mesma. Rapidamente a proposta foi acolhida pelos alunos que deram “asas” à sua imaginação e sugeriram um tema aglutinador – O Ambiente, com a designação de “Projeto EcoExistir”. Daqui resultaram as mais variadas atividades, entre as quais vídeos, concursos, jogos, momentos musicais, dança, representação teatral, exposição de trabalhos, reveladoras do empenho e dedicação de alunos extraordinários e, sem dúvida, seres humanos fantásticos.
 O “Sarau Cultural” decorreu no dia 27 de maio e contou com a distinta presença dos Pais/Encarregados de Educação dos alunos de 11º ano; do Vereador da Educação da Câmara Municipal de Amarante, Dr. Adriano Santos; da Diretora da Escola, Dra. Ana Cristina Santos; do Presidente do Conselho Geral, Dr. António Madureira; Docentes, Assistentes Operacionais e Alunos.
 No final do “Sarau Cultural”, todos foram unânimes em considerar que este evento maravilhoso superou todas as expectativas, o que nos deixou, a nós equipa organizadora, de “coração cheio” perante estes alunos de excelência!

 Docentes de LCP 11º ano









Alunos da nossa escola vencem 7.ª edição do Orçamento Participativo Jovem (OPJ) – Câmara Municipal de Amarante

Foto: Elsa Cerqueira

 “Existir não é pensar, é ser lembrado.”
 Teixeira de Pascoaes

 O projeto “A(Vós) que nos unem” foi o mais votado entre os cinco candidatos ao Orçamento Participativo Jovem 2021/2022. Com 41 por cento dos votos, a proposta de Ana Teixeira, Ana Rita Teixeira, David Ribeiro, David Santos, Dulce Moura, Inês Gomes e Maria Leonor Teixeira (12º CT4) pretende “impulsionar o diálogo intergeracional através de atividades culturais com os idosos nos centros de dia, com vista a proporcionar-lhes uma vida mais feliz”.
 “Este projeto é um desafio humanizador que pretende pensar a condição dos idosos contribuindo para a melhoria da sua vida através de valores como a empatia, o altruísmo e a inclusão”
 Algumas das iniciativas propostas contarão com a colaboração das professoras Sandra Santos (EMRC), Elsa Cerqueira (Filosofia) e da realizadora, professora universitária e codiretora do MDOC – Festival Internacional de Documentário de Melgaço, Patrícia Nogueira.
 Entre as atividades previstas para promover um envelhecimento ativo estão sessões de cinema e teatro, workshops com recurso a fotografias, e a produção de um livro de memórias digital, bem como dotar os idosos de dispositivos móveis que lhes permitam um maior contacto com um mundo a descobrir…
 Os autores de “A(Vós) que nos unem” receberam do presidente do Município de Amarante, José Luís Gaspar, o Diploma e o Troféu.
 In, Amarante Magazine

 Parabéns pelo empenho e dedicação!

Foto: A. Meireles

segunda-feira, 6 de junho de 2022

Celebração Eucarística Solene na Igreja de S. Gonçalo

Foto Imagem Crescente

 No passado sábado, 28 de maio de 2022, os alunos do décimo segundo ano de escolaridade, os seus familiares, amigos, Diretora, Professores e demais elementos da comunidade educativa, encheram a Igreja de S. Gonçalo de Amarante, para assistirem à Celebração Eucarística Solene e à bênção das fitas.
 Esta cerimónia de «ação de graças», na tarde da Vigília da Ascensão do Senhor, foi presidida pelo Pároco José Manuel Ferreira, com início às 18h30m.
 A grande maioria dos alunos vivenciou este momento com grande emoção, deixando-se contagiar pela temática “Dar Rosto à Esperança e Mãos à Paz”: cada um dos presentes foi chamado a ser rosto de uma esperança maior e de uma paz em permanente construção. Cada um, à sua maneira, viveu este mistério da Ascensão, quando projetou o seu coração para uma alegria maior.
 Toda a cerimónia foi um hino à edificação de um mundo novo cuja expressão se concretizou por gestos e cânticos que, para sempre, ficarão gravados na memória e no coração.
 De fitas bem levantadas e com a emoção de estar a concretizar “mais um objetivo”, estes finalistas demonstraram que, acima de tudo, são discípulos de um mundo que se lhes apresenta, simultaneamente, como dádiva e como missão.
 Não se descurou também, neste mês de Maria, uma sentida e singela homenagem à Mãe do Céu que, em última análise, está personificada em cada mãe, atenta, próxima, solícita… que, com a sua asa protetora, os lança para o futuro…
 Com a asa como símbolo, estes alunos foram convidados a embarcar “num golpe de asa” e voar em direção aos seus sonhos, com a certeza que algo novo está para vir!
 Nesta hora de despedida, vieram ao pensamento as palavras de Santa Madre Teresa de Calcutá: “Ensinarás a voar... Mas não voarão o teu voo. Ensinarás a sonhar... Mas não sonharão o teu sonho. Ensinarás a viver... Mas não viverão a tua vida. Ensinarás a cantar... Mas não cantarão a tua canção. Ensinarás a pensar... Mas não pensarão como tu. Porém, saberás que cada vez que voem, sonhem, vivam, cantem e pensem... estará a semente do caminho ensinado e aprendido!"
 Nesta solenidade, a Diretora da Escola, Ana Cristina Santos, proferiu também uma mensagem aos finalistas, enfatizando palavras de agradecimento, estímulo, perseverança e que aqui se transcreve um excerto do seu discurso:

 “Terminado o percurso escolar, novos desafios se vos deparam e novos horizontes se abrem diante de vós. E a palavra de ordem é “continuar”: continuar a aprender, continuar a trabalhar. Importa mesmo reforçar a capacidade de aprendizagem e a capacidade de trabalho.
 Ao mesmo tempo, é preciso que saibais reconhecer os contributos de tantas pessoas para a vossa formação. E sabei que podeis continuar a receber o seu apoio. São as professoras e professores, os grandes obreiros da educação formal, a que se juntam os demais trabalhadores da escola; é a família de cada uma e de cada um, o grande alfobre da educação fundamental em valores e hábitos sadios e que acompanha a sua menina ou o seu menino, com empenho e carinho, ao longo de todos o seu percurso de vida; são as autarquias, a administração educativa e as entidades parceiras da escola, que não se têm poupado a esforços para que a escola pública se engrandeça e cumpra cabalmente a sua missão e continue a ser a grande referência para cada uma e cada um de vós.
 Não esqueçais: a Escola Secundária de Amarante será para vós a grande referência, aquela espécie de “Convento de São Gonçalo que vos modelou a adolescência e a juventude”!
 E Augusto Cury, médico psiquiatra e psicoterapeuta brasileiro, escreveu o livro Maria, a Maior Educadora da História, em que analisa o método que a mãe de Jesus usou para educar o filho. E o autor insta a apreciar o papel de Maria incumbida da missão de educar o futuro Mestre dos mestres, sem acesso aos conhecimentos das classes privilegiadas da Galileia. Nada, porém, a impediu de aceitar com coragem a missão e de passar ao filho os valores universais que viriam a modificar a História. Antes, soube despertar em Jesus a arte da contemplação, a ambição interior, a inteligência construtiva. Efetivamente, Jesus “brincava, teimava, revoltava-se, desafiava os ensinamentos paternos”, mas, por outro lado, era: ávido de conhecimento, de inteligência fora do normal, capaz de mudar o mundo.
 É claro que de todas e de todos vós espero que sejais capazes de adquirir mais conhecimento e de usardes da inteligência que tendes para contribuirdes para que o mundo seja um pouco melhor: mais justo, mais igual, mais fraterno, mais próspero e mais humano.
 Lembrai-vos sempre de que o grande lema da vossa vida, a partir de hoje, é serdes “Rostos de Esperança e Mãos de Paz” ”.

 Esta atividade surgiu, assim, como corolário de mais uma etapa escolar, e nunca é demais lembrar que toda a Comunidade Educativa, no final desta longa caminhada, entre sorrisos e elogios agradeceu a Deus a Sua solicitude e presença.

Foto Imagem Crescente

Mobilidade Erasmus+ “Folk dances” a Cagliari, Sardenha (Itália)

 De 8 a 14 de maio de 2022 os docentes da ESA Bruno Teixeira (Educação Física) e José Rui Fonseca (História) e as alunas Ana Miguela Sampaio (10º CSE), Leonor Lopes (10º CT4), Beatriz Queirós (10º AV), Maria Vasconcelos (11º CLH3) e Francisca Queirós (12º CT3), estiveram em Cagliari, Sardenha (Itália) a representar Portugal no projeto KA229 “Popular Folk Dances: a mirror of the national traditions and of the minorities”.
 Este projeto envolveu escolas de cinco países (Itália, Turquia, Roménia, Eslovénia e Portugal) e pretendia valorizar a etnografia e o folclore como elementos diferenciadores da nossa identidade nacional e europeia, partilhar a nossa riqueza cultural e valorizar a cidadania e coesão europeias.
 As alunas e os professores estiveram envolvidos em diferentes atividades culturais, que culminaram com o festival de folclore que encerrou este projeto. Visitaram o centro histórico de Cagliari, o mercado antigo San Benedetto, o museu municipal (antiga Câmara), a Passegiatta Coperta, onde assistiram a uma palestra e exposição de Galileo Galilei, visitaram ainda a Poetto beach e a marina da cidade. No último dia do programa, visitaram a estação arqueológica de Tharros, um local paradisíaco, onde tiveram oportunidade de explorar as magníficas praias adjacentes.
 Foi uma semana mágica durante a qual alunas e professores criaram laços com todos os participantes e desenvolveram competências linguísticas em língua inglesa, bem como competências pessoais. Os testemunhos das alunas participantes que se transcrevem são uma prova do sucesso desta mobilidade:

 “Participei no programa ERASMUS para Itália (Sardenha) e devo dizer que foi uma experiência incrível. Tive a oportunidade de comunicar com outras culturas e de visitar sítios maravilhosos. As paisagens, a simpatia, a comida e a praia foram sem dúvida os aspetos que eu mais gostei. Cagliari foi um lugar que me contagiou, tanto a cidade como as pessoas, uma energia fantástica e alegre. Vou fazer os possíveis para lá voltar porque valeu mesmo a pena. Obrigada a todos.”
 (Maria Vasconcelos, 11º CLH3)

 “Diverti-me imenso nesta viagem à Sardenha. Sem dúvida, aquilo que mais gostei de fazer foi formar novas amizades e conhecer pessoas novas. Adorei visitar a ilha e ficar a conhecer as danças folclóricas de outras países. Espero um dia regressar lá.”
 (Ana Miguela, 10º CSE)

 “Achei esta experiência única e bastante educativa, pois tive a oportunidade de passar uma semana com outras colegas que até aí não conhecia e fazer novas amizades. Também foi bastante importante representar a minha escola e o meu país com a nossa cultura e trajes tradicionais: rancho folclórico. Uma das partes mais importantes para mim foi conviver com os alunos italianos, principalmente, no seu meio e dia-a-dia, coisa que se fosse apenas visitar o local em férias não poderia vivenciar.”
 (Beatriz, 10ºAV)

 “O que mais gostei na mobilidade de Erasmus a Sardenha? Não posso escolher só uma coisa porque aquela semana foi das melhores semanas da minha vida e, definitivamente, nunca me irei esquecer desta experiência. Esperei bastantes meses para conseguir ir em Erasmus mas valeu muito a pena, porque esta mobilidade excedeu muito as minhas expetativas. Confesso que estava muito nervosa e com algum medo de não conseguir fazer amigos. Tudo isso passou quando conheci aquelas pessoas fantásticas que tornaram esta semana ainda melhor. Foram sete dias muito enriquecedores, onde pude conhecer as culturas, tradições e danças dos outros quatro países participantes (Itália, Turquia, Eslovénia e Roménia).
 Acho que o que mais gostei foi do dia do festival. Foi muito divertido e também as idas à praia, que foi o sítio onde nos despedimos. A mobilidade também me ajudou nas minhas capacidades de comunicação e do domínio da língua inglesa.”
 (Francisca Queirós, 12ºCT3)

 “Esta experiência foi uma das maiores e enriquecedoras da minha vida!
 Nesta semana, conheci pessoas incríveis, carinhosas, simpáticas e generosas que fizeram com que esta experiência fosse ainda mais enriquecedora e divertida!
 Foi incrível conhecer a cultura, tradições, comidas, danças e as lindas paisagens da ilha pela qual me apaixonei num piscar de olhos, e foi um privilégio poder representar Portugal, falar-lhes sobre o nosso querido país e o quão rico em cultura e tradições ele é! Durante esta semana visitámos a parte histórica de Cagliari, fomos até Tharros onde visitámos a sua área arqueológica, fomos à praia, fizemos parte de festival de danças folclóricas e também ficamos a conhecer os países de todos os nossos colegas (Eslovénia, Roménia, Itália e Turquia).
 Senti que este projeto teve uma grande contribuição para o meu desenvolvimento pessoal, foi o primeiro passo para a abertura dos meus horizontes e foi essencial para melhorar as minhas capacidades com a língua inglesa.
 A todos os que estão a ler isto e pensam concorrer a um projeto como este, não tenham receios, arrisquem e aproveitem ao máximo cada momento, porque o tempo vai passar a correr! Obrigada a todos os que fizeram parte deste incrível projeto por me proporcionarem tantos momentos incríveis!”
 (Leonor Lopes, 10º CT4)

 Esta mobilidade proporcionou, às alunas e aos professores, aprendizagens únicas e momentos sociais e culturais muito enriquecedores, bem como amizades que ficarão, sem dúvida, registados nas memórias e nos corações de todos.
 Até sempre Cagliari!








sexta-feira, 3 de junho de 2022

Projeto “A Brincar e a Sorrir o Bullying vamos Prevenir”

 Qualquer forma de violência escolar viola o direito fundamental à educação e nenhuma escola pode atingir uma educação inclusiva e de qualidade se os alunos estiverem expostos à violência.
 Acresce que, a violência escolar, onde se enquadram o bullying e o ciberbullying, pode ainda afetar seriamente a saúde e o bem-estar dos adolescentes, com consequências negativas.
 Preocupados e atentos aos fenómenos do bullying e do ciberbullying que, de acordo com as Nações Unidas, afetam uma em cada 3 crianças/jovens, a Escola Secundária de Amarante participou no Projeto “A Brincar e a Sorrir o Bullying vamos Prevenir”, promovido pelo Município de Amarante em articulação com as instituições no âmbito da Rede Social - Psicosorrir, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, Cercimarante, a equipa do Município e programa Acompanhar e Gerir a Inclusão em Rede CLDS 4G.
 O projeto teve como objetivo contribuir para a redução de atitudes discriminatórias entre crianças e jovens, capacitando as escolas com mecanismos de prevenção e sensibilização adequados.

Lino Silva, Curador do f/est Amarante, promove workshop de fotografia na ESA

 Decorreu na Escola Secundária de Amarante, no dia 27 de maio, o workshop “Introdução à fotografia”, ministrado pelo fotojornalista, Hugo Lima, integrado na segunda edição do f/est Amarante – Festival Internacional de Fotografia, que se realizou de 27 a 29 de maio sob o tema “Refotografar”.
 O workshop foi destinado a todos os alunos do curso de Artes Visuais. Com este workshop pretendeu-se transmitir os conhecimentos básicos da técnica e da linguagem fotográfica, visando a obtenção de imagens mais perfeitas e interessantes visualmente, regras de composição e enquadramento, noções básicas de software para a edição e tratamento de imagem digitais. No final da manhã, os alunos tiveram a possibilidade de explorar várias técnicas/efeitos fotográficos. De tarde, o trabalho de campo decorreu pelas ruas de Amarante. Como referiram os organizadores, o conceito mantém-se como sendo um festival de rua, que pretende refletir sobre o olhar.
 A Escola Secundária de Amarante, em particular, os alunos e os professores de Artes Visuais, agradecem a oportunidade e a partilha de experiências únicas por parte do fotógrafo Hugo Lima.
 Muito obrigada.
 Os professores do Grupo 600, Artes Visuais, da Escola Secundária de Amarante.
 Fotos: alunos de Artes Visuais e f/est Amarante 




segunda-feira, 30 de maio de 2022

Workshops "Falar em Público"

 De 21 de abril a 05 de maio, as turmas do 12.º ano dos cursos profissionais da Escola Secundária de Amarante participaram do workshop “Falar em Público”, orientado pelo artista residente António Portela.
 Esta iniciativa teve como objetivo trabalhar a postura e a comunicação na apresentação dos trabalhos e contribuir para a consciência física e vocal dos alunos na apresentação das Provas de Aptidão Profissional. A atividade foi recebida com entusiasmo pelas seis turmas e desenvolveu um conjunto de exercícios importantes para a reflexão sobre a comunicação do orador na exposição de trabalhos coletivos e individuais. No final das sessões, os estudantes tiveram a oportunidade de conversar sobre as dúvidas e questões que tinham sobre as técnicas de apresentação e comunicação com o público.
 A ação, desenvolvida no âmbito do Plano de Desenvolvimento Pessoal, Social e Comunitário, contou a colaboração do Prof. Abílio Mendes, coordenador dos cursos profissionais, e com a participação dos professores presentes nas sessões do workshop.
António Portela